Familiar

Vocação: semente do amor

O mês de agosto é todo dedicado às vocações. Cada semana uma vocação específica, mas a vocação primeira é o chamado à vida. “Vocação é chamado e resposta. É uma semente divina ligada a um sim humano. Nem a percepção do chamado, nem a resposta a ele são tão fáceis e tão ‘naturais’. Exigem afinação ao divino e elaboração de si mesmo, sem as quais não há vocação verdadeira e real” (Vocação, qual é a sua? – RCC Goiás).

O mês vocacional quer nos chamar à reflexão para a importância da nossa vocação, descobrindo nosso papel e nosso compromisso com a Igreja e a sociedade. Reflexão que deve nos levar à ação, vivenciando no dia a dia o chamado que o Pai nos faz. Que a celebração do mês vocacional nos traga as bênçãos do Pai para vivermos a nossa vocação a qual fomos chamados: sacerdotal, diaconal, religiosa ou leiga. Todas elas são importantes e indispensáveis. Todas elas levam à perfeição da caridade, que é a essência da vocação universal à santidade.

A palavra “vocação” vem do latim e quer dizer: convocar, chamar, escolher. Em geral é o chamado feito por Deus a seus filhos. A vida está, sob a providência de Deus, e as circunstâncias da vida estão em funcionamento da vocação de cada um (1Cor 7,20). Todavia, sendo Deus amor, e o homem criado por Ele, foi então criado pelo Amor. Mas foi criado também para o amor, uma vocação inata a todo ser humano, pois fora criado à imagem e semelhança do Amor, isto é, Deus. Rendamos graças a Deus que nos cria por amor e que nos chama a uma vocação bela de amar e ser amado.

O despertar vocacional é um caminho lindo que precisamos trilhar a fim de levar uma vida feliz. Este caminho é composto por algumas fases que vamos conhecer.

Essa reflexão fala da construção de um projeto de vida que é feito junto da comunidade. Aprofunde essa temática lendo o artigo completo na edição impressa da Revista Cristo Rei (agosto/2019).

 

Luiz e Irnice Gomes dos Santos

Casal coordenador diocesano do Setor Pré-matrimonial da Pastoral Familiar