Fé e Vida

Um ano com São José, pai de Jesus e guardião da Igreja

Patris corde (Com coração de pai) é o título da carta apostólica do Papa Francisco por ocasião do 150º aniversário da declaração de São José como patrono da Igreja universal, emitida no dia 8 de dezembro passado. Foi uma surpresa para muitos, mas muito desejada por todos aqueles que mantêm uma relação constante com o Santo Patriarca. Através desta Carta Apostólica o Papa Francisco define 2021 o “Ano de São José”. 

A Carta apostólica é fruto das reflexões pessoais do Papa no contexto da pandemia. Neste tempo, diz o Papa, foi possível “compreender a importância das pessoas comuns, aquelas que, distantes dos holofotes, exercitam todos os dias a paciência e infundem esperança, semeando corresponsabilidade. Todos podem encontrar em São José – o homem que passa despercebido, o homem da presença cotidiana discreta e escondida – um intercessor, um amparo e um guia nos momentos dificuldade”.

Um texto inteiramente dedicado à paternidade de São José em relação a Jesus, filho de Deus. "Com coração de pai: assim José amou Jesus, designado nos quatro evangelhos como “o filho de José” são as primeiras palavras do Carta Apostólica. A grandeza de São José consiste no fato de ele ter sido o esposo de Maria e o pai de Jesus” como afirma São João Crisóstomo”.

O Papa Francisco, em linha e em continuidade com seus predecessores, compartilha algumas “reflexões pessoais sobre esta figura extraordinária, tão próxima da condição humana de cada um de nós”; de fato, o Papa Bergoglio escreve: “Depois de Maria, a Mãe de Deus, nenhum Santo ocupa tanto espaço no magistério pontifício como José, seu esposo. Os meus antecessores aprofundaram a mensagem contida nos poucos dados transmitidos pelos Evangelhos para realçar ainda mais o seu papel central na história da salvação”.

A paternidade de São José, destacada no texto, deve servir de modelo justamente neste tempo em que se encontra em crise ou deformada. São José, o pai amado, pai na ternura, na obediência, no acolhimento; o pai trabalhador com coragem criativa; o santo chamado a ser sombra do Pai, são estes os sete temas com que o Papa Francisco apresenta a figura do esposo da Virgem Imaculada à luz dos Evangelhos e da sabedoria bíblica do Antigo e do Novo Testamento.

O propósito desta Carta Apostólica, conclui o Papa Francisco, “é aumentar o amor por este grande Santo, para nos sentirmos impelidos a implorar a sua intercessão e para imitarmos as suas virtudes e o seu desvelo. Com efeito, a missão específica dos Santos não é apenas a de conceder milagres e graças, mas de interceder por nós diante de Deus”.

O período difícil que estamos vivendo é propício para “implorar a São José a graça das graças: nossa conversão”. Para a perfeita realização do objetivo pretendido, o dom das indulgências que a Penitenciária Apostólica concede durante o Ano de São José será muito benéfico. Com efeito, o dom das Indulgências especiais é concedido até 8 de dezembro de 2021, momento em que cada fiel a exemplo do santo Carpinteiro pode fortalecer diariamente a sua vida de fé na plena realização da vontade de Deus. “Todos fiéis terão assim a possibilidade de se empenhar, através com orações e boas obras, para obter com a ajuda de São José o conforto e o alívio das graves tribulações humanas e sociais que hoje afligem nosso mundo.

 

São José, rogai por nós!

 

Dom João Carlos Seneme, css

Bispo de Toledo