Familiar

Ouvir como Maria e servir igual Marta

A Diocese de Toledo deu início no ano de 2019 a uma escola que ajuda seus participantes a prepararem-se para atender aos casos de conflito no seio das famílias de nossas comunidades. Neste ano daremos continuidade a este processo de formação e aprendizado, com uma nova turma de casais. Este período de formação se desenvolve em quatro etapas, sendo em quatro finais de semana. Esta formação é destinada a casais, agentes da Pastoral Familiar e de outras Pastorais ou Movimentos, bem como a profissionais da área, que queiram abraçar, junto com os padres e os casais membros da Pastoral Familiar este trabalho de escuta e orientação familiar.

Todo este trabalho realizado tem como tema inspirador o texto bíblico de São Lucas, que narra a visita de Jesus a Marta e Maria (Lc 10,38-42). As duas irmãs o acolhem em sua casa com carinho e toda atenção necessária, cada uma a seu modo. Ao refletirmos sobre este texto aprendemos com Maria a nos colocarmos aos pés do Mestre para ouvirmos o que Ele tem a nos dizer e ensinar. Com Marta aprendemos a servir. São duas atitudes que devem fazer parte da vida de cada discípulo e discípula de Jesus, pois só poderemos desenvolver bem a missão à nós confiada se aprendermos a ouvir a voz do mestre e com Ele nos colocarmos a serviço de quem de nós precisar.

Somos chamados a acolher as pessoas, os casais, as famílias que vêm ao nosso encontro em busca de um consolo, de um conselho, de um ouvido para escutar. Sabemos que hoje uma das grandes carências das pessoas está em serem escutadas. As pessoas têm necessidade de falar, desabafar, contar suas dores e suas angústias e, para tanto, esperam que nossos ouvidos estejam atentos para ouvir. Após a escuta atenta e dedicada esperam ajuda para que possam descobrir um caminho e deixarem para trás seus sofrimentos. Nesse sentido é importante que os casais que trabalham neste serviço de escuta e orientação olhem com carinho e misericórdia para seus interlocutores e os ajudem a descobrir as respostas para as suas perguntas e as soluções possíveis para seus problemas.

Sabemos o quanto as pessoas têm necessidade de serem ouvidas. Todos falam, falam demais, é muita conversa sem sentido, à toa, muito falatório. Nas redes sociais, é muita exposição. Mas ouvir, parar para escutar o outro, ninguém tem tempo. Vemos crianças e adolescentes alienados em seus celulares e sabe-se lá o que mais. Pai e mãe conectados com o mundo e totalmente desligados um do outro. São famílias, mas cada um na sua bolha. Muito triste, mas é a realidade de muitos lares em nossos dias.

O Serviço de Escuta e Orientação que a Pastoral Familiar se propõe oferecer é voluntário, regido pelo sigilo absoluto sobre o trabalho realizado. É um espaço que a Igreja oferece onde as pessoas são acolhidas, valorizadas e amadas da forma como se apresentam, sem se importar a condição em que ela se encontra, pois o que importa é que ela precisa de ajuda e vai ser ajudada, como um filho ou filha de Deus. Os ouvidos estarão atentos e quando questionados, com a graça de Deus, ajudaremos a pessoa para que possa encontrar a saída para seu problema. Daremos aquela palavra que orienta e ilumina sua vida. O serviço de escuta quer ser a Maria, que é toda ouvidos, e a Marta, que é toda serviço.

 

Mariana Camargo

Agente da Pastoral Familiar da Paróquia São Vicente Palotti

Palotina (PR)