Juventude

Juventude: isolamento social e busca de Deus

Há uma frase popular muito conhecida: “Mente vazia, oficina do diabo”. Pois bem, estamos passando por um período de quarentena, de isolamento social, e cabe, então, uma pergunta: Como está a sua mente? Certamente você vai pensar que ela está bem, em ordem; inclusive dedicando um tempo para esta leitura.

Mas você está dedicando tempo para as coisas que eram realizadas anteriormente? Está participando da missa? Grupo de jovens? Pastorais? Por mais que em meio à pandemia em alguns lugares as igrejas estão fechadas, não tendo encontro com público, há alguém que permanece disponível 24h por dia, esperando você se lembrar d’Ele. Estar de quarentena não significa estar isolado de Deus, da Igreja e das boas pessoas de nossas vidas.

Ao longo de tantos séculos da existência da Igreja Católica muitas pessoas se dedicaram de corpo e alma ao seguimento de Cristo e ao anúncio da Palavra. Algumas delas se tornaram santas, umas se inspirando na natureza, no cuidado com o próximo, lendo obras da vida de outros santos, como Santo Inácio e uma, em especial, vivendo no deserto.

Isso mesmo! Há um santo que buscou sua santidade e expressou seu amor a Deus através do isolamento social, morando em cavernas no deserto. E você aí lamentando ficar em casa, no conforto, sem ter que lutar contra nenhuma serpente no deserto quente.

Refiro-me a um homem que viveu de 251 d.C. a 356 d.C. chamado Santo Antão (do Deserto). Buscando o sentido da vida, mesmo sendo cristão, ele necessitava se aventurar de alguma forma para encontrar este sentido. Inspirado pelo Evangelho, Antão vendeu seus bens e foi morar no deserto. Muitos o procuraram, se tornaram discípulos, o que fez ele se afastar mais e viver em um isolamento de 18 anos.

Passando por muitas tentações, venceu a todas com muita oração, isolamento e jejum. Fica aí mais uma pergunta: Já ganhou quantos quilos nessa quarenta? Pois é, não é fácil resistir à uma guloseima; mas como vai a sua mente? Está voltada para a Palavra? Ou melhor, você está lendo a Bíblia?

Santo Antão, o pai dos monges, viveu 105 anos! Isso mesmo, viveu muitos anos no deserto, indo à civilização em ocasiões muito específicas, conseguiu inúmeros discípulos que imitaram seu estilo de vida e oração.

Por isso, amados de Deus, não estamos passando por isolamento da Igreja, de Deus e muito menos por férias. Estamos em um momento de aproveitar para estarmos mais próximos de Jesus. Aproveite esta juventude e vá em busca da sua caverna, aí na sua casa, no seu quarto, e não se esqueça que há em quem confiar, há um Deus te esperando, mesmo que você tenha se esquecido d’Ele.

Aproveite para seguir o grupo de jovens aí da sua cidade, do seu bairro e fique atento às atividades on-line que estão sendo realizadas, pois eles também são pessoas em quem se pode confiar. Em deserto ou de quarentena, o isolamento jamais deve ser da sua busca pela santidade.

 

Felipe Gomes

Coordenação Diocesana do Setor Juventude