Catequese

Catequese em tempo de pandemia

Datas definidas para o cronograma de 2020. Início das atividades catequéticas, preparo dos encontros semanais, reunião com os pais, presença nas missas da comunidade, formação de catequistas, retiro em preparação aos Sacramentos da Eucaristia e Crisma. Estas e tantas outras atividades que a Catequese promove em seu itinerário vivencial foram interrompidas para que se evitasse a contaminação pelo novo coronavírus.

Coincidentemente, a Campanha da Fraternidade desse ano teve como tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso”. Nos foram apresentadas várias ameaças à vida e aprendemos que a pedagogia de Jesus é o meio para alcançarmos a vida em plenitude. Vivemos um novo desafio e sentimos na pele mais uma ameaça pela qual não esperávamos: uma pandemia. O alto risco de contágio e a evolução da doença nos deixam assustados. Frente à esta realidade, precisamos exercitar a compaixão e a caridade.

A ação catequética, conjunto de esforços para a evangelização, em nossa atual realidade, se dá através da experiência da fé e da espiritualidade, tornando os anunciadores de Cristo e de sua Igreja criativos ao evangelizar frente ao isolamento social. Nossos lares (igreja doméstica) são responsáveis pelo cultivo da confiabilidade em Deus neste tempo atípico. Neste sentido, quais são as atitudes dos catequistas no presente quadro?

A oração, perseverança e criatividade. Os párocos, coordenadores e catequistas têm buscado alternativas para não perder o vínculo com os catequizandos, com os fiéis. Através das redes sociais são alimentados espiritualmente com a Palavra do Senhor. Os catequistas incentivam as famílias de seus catequizandos para a leitura orante, oração do terço, diálogo familiar, atitudes que favorecem maior intimidade com Cristo; e isso é Catequese.

É evidente que a realidade de cada comunidade é diferente, embora nos esforcemos para caminhar em unidade pastoral. As comunidades dispõem de ferramentas que lhe são próprias, por isso, uma metodologia nem sempre poderá ser aplicada em outra comunidade. A vantagem de não termos uma única fórmula de instaurarmos o Reino de Deus, é que vemos a ação do seu Espírito Santo tornando nossos catequistas criativos para viver e transmitir a fé.

MANTER A UNIDADE

A Animação Bíblico-Catequética orientou as coordenações de Catequese no início desta pandemia para a prática da igreja doméstica, uma vez que os encontros presencias foram interrompidos. A coordenação diocesana da Catequese mantém a orientação de vivermos a Catequese com as atitudes da igreja doméstica.

Com o passar dos meses, algumas paróquias da Diocese optaram pela realização de outras iniciativas, como por exemplo, os encontros on-line, uma maneira encontrada para fortalecer a espiritualidade dos catequizandos e os manter próximos. Porém, tendo a consciência, que não substituirá a catequese presencial.

O mais importante neste momento é manter a unidade, como disse D. José Antonio Peruzzo, presidente da Comissão para a Animação Bíblico-catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em uma sala de vídeo “Catequese em tempos de pandemia”: “Não podemos perder o contato com os catequizandos, temos que nos fazer presentes mesmo que distantes, através de uma mensagem em rede social, de uma carta, de um bilhete, entre outros”. Segundo ele “(...) Catequese não é só um programa regular ao longo de um ano, é catequético o afeto, não existe evangelização sem ternura, aí o seu contato com os catequizandos agora é decisivo (...) a união com os outros fortalece e promove a unidade entre os catequizandos”.  É fato que nem todos os catequizandos têm acesso à internet, mas a estes podemos enviar uma carta, um bilhete, fazer uma ligação. Precisamos de alguma maneira mostrar nosso carinho, nosso afeto.

Manter o contato com os catequizandos é também gratificante para os/as catequistas e os fortalecem a superar as dificuldades apresentadas frente a pandemia: os medos, as inseguranças, a solidão, a dificuldade financeira, entre tantos outros problemas que podem decorrer da situação atual.

FAVORECER A ESPIRITUALIDADE

É um tempo difícil, mas por outro lado é momento em que temos tempo de nos voltar a Deus, avaliar a caminhada de fé, de favorecer momentos de maior espiritualidade, criar maior intimidade com a Palavra de Deus, esta que é a centralidade da catequese.

Ainda segundo D. Peruzzo, “a Bíblia não é um livro de doutrina, é Palavra viva. Na Bíblia a ternura de Deus se tornou letra”. Sendo assim, nos aproximar da Palavra é nos aproximar do amor de Deus. D. Peruzzo continua dizendo que “(...) se faltar o vínculo pessoal do catequista com a Palavra o catequizando perceberá que estamos estudando certas matérias religiosas, porém se houver paixão do catequista pela Palavra o catequizando herdará a paixão. Catequese não é conteúdo a transmitir, é experiência a partilhar”. Que possamos aproveitar esse momento em que diminuímos consideravelmente as atividades sociais para mergulhar profundamente na Palavra e aumentar nossa paixão por Jesus Cristo que nos inspira com seu Espírito Santo.

VIVER A COMUNHÃO

A Catequese não se caracteriza apenas pela realização do Sacramentos, ela constrói com os catequizandos um itinerário para bem vivê-los. Frente a realidade da pandemia, somos chamados a contribuir com palavras e ações, vivendo a comunhão rumo a plenitude. Sejamos caridosos para com os mais necessitados de pão, atenção e oração nos deixando embriagar pelos dons do Espírito Santo.

Provavelmente, quando tudo voltar à normalidade, teremos realizado experiências catequéticas transformadoras e ganharemos novos aliados para a missão de catequizar. Contudo, o meio virtual não substitui o encontro pessoal. Jesus se faz caminho e caminha conosco.

Catequistas! Aproximemo-nos das ferramentas possíveis à nossa disposição para irmos ao encontro e acolhermos nossos catequizandos. Mergulhemos no mistério de Cristo e que Ele seja a nossa força em meio a presente tribulação.

 

Vânia Salete Klein de Oliveira

Coordenadora Diocesana da Catequese Junto à Pessoa com Deficiência

 

Fernando da Rocha

Coordenador Diocesano da Animação Bíblico-catequética