Artigo/Notícia

Conselho do Laicato convida para reflexão sobre o trânsito

O Conselho Nacional do Laicato do Brasil da Igreja no Paraná (Regional Sul 2) está engajado no Movimento “Maio Amarelo” que nasceu com uma proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. O Movimento visa uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil para colocar em pauta o tema segurança viária e quer mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos da sociedade civil organizada para efetivamente discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.

Para tanto, o Conselho do Laicato convida as Comunidades Paroquiais, inclusive da Diocese de Toledo, à participação nesta Campanha 2021 que tem o tema “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”.

A proposta traz a reflexão sobre atitudes que tem faltado nos últimos tempos em diversos ambientes de convivência: o respeito e a responsabilidade. Assim, a mensagem desta campanha apresenta a empatia como o carro chefe da convivência, ou seja: não faça ao outro aquilo que não deseja que seja feito a você!

 

LIVE “MAIO AMARELO”

Entre outras ações, o Conselho do Laicato promove nesta terça-feira (11/05), uma Live que você pode assistir aqui pelo YouTube e Facebook. A reflexão poderá vir ao encontro da proposta de uma Igreja permanente em saída.

A Live terá início às 19h30 e contará com a presença de:

- D. Frei Severino Clasen (OFM), bispo Referencial para o laicato no Regional Sul 2;

- Sr. Mauro Gil Meger, vice-presidente do Observatório de Segurança Viária (ONSV);

- Sr. Wagner Mesquita, diretor do Detran-PR;

- Dra. Tatiana Gomara Neves, da Secretaria de Estado da Saúde (PR).

 

"Não pensemos só na possibilidade de terríveis fenômenos climáticos ou de grandes desastres naturais, mas também nas catástrofes resultantes de crises sociais, porque a obsessão por um estilo de vida consumista, sobretudo, quando poucos têm possibilidades de o manter, só poderá provocar violência e destruição recíproca". (Laudato Si, 204)